ASMR | Tudo o que precisas de saber

A sigla pode parecer-te esquisita ou até completamente desconhecida, mas basta pesquisá-la no YouTube para obteres milhares de vídeos com milhões de visualizações.
ASMR significa, em português, Resposta Sensorial Autónoma do Meridiano e é o nome dado à sensação de formigueiro ou cócegas no couro cabeludo e pescoço que algumas pessoas sentem quando expostas a determinados estímulos. Alguns dos estímulos, ou “gatilhos” (“triggers”, em inglês), mais comuns são sussurros ou vozes suaves, movimentos lentos com as mãos, barulhos feitos com a boca ou sons de alguém a bater suavemente em objetos. São sons que sabem bem e relaxam, que têm em comum o facto de serem suaves e próximos - a sensação pretendida é de proximidade e intimidade.



Nem todos os estímulos são sonoros (há quem sinta a sensação de formigueiro com massagens na cabeça ou uma ida ao cabeleireiro), mas a experiência mais fácil de replicar na Internet é, claro, uma que seja audível. E aquilo que começou por ser um fenómeno relativamente de nicho, tomou agora um lugar no mainstream e tem milhões de fãs, incluindo algumas celebridades. Muitos usam os vídeos para conseguir adormecer, outros para acalmar a ansiedade.

Vídeos que desencadeiam esta sensação apareceram na Internet antes de o fenómeno ter sido batizado de “ASMR”. Lembram-se de um vídeo popular que circulava na Internet pré-vídeos virais e que consistia numa “visita” ao barbeiro? É de 2007 e, apesar de não ter sons suaves e sussurros, pode ser considerado um dos vídeos mais antigos de ASMR.

Há também quem diga que os vídeos de Bob Ross a pintar (aqui), que fazem parte de um programa de televisão norte-americano exibido entre 1983 e 1994, subscrevem os princípios do ASMR, devido à sua voz calma e ao som suave dos pincéis.

Existem ASMRists (como são chamados os criadores deste tipo de conteúdo) para todos os gostos e alguns deles têm autênticos “batalhões” de seguidores: o vídeo mais popular do canal de YouTube Gentle Whispering conta com 20 milhões de visualizações; Gibi dedica-se maioritariamente a cosplay e roleplay; ASMR Zeitgeist é um dos ASMRists masculinos com mais visualizações, ao passo que SAS-ASMR é indubitavelmente a rainha do género, com 4,5 milhões de subscritores que regularmente assistem aos seus vídeos a comer (o som de mastigar pode também ser considerado ASMR).

Estes números comprovam que, o que pode ter começado como mais um fenómeno estranho do Youtube, é hoje um sucesso mainstream e, como sempre na Internet, já deu origem a paródias, reacts, músicas e conteúdo sem fim.

Benefícios do ASMR
É importante mencionar, contudo, que o ASMR ainda carece de explicação científica: os estudos feitos sobre o fenómeno ainda são poucos e o próprio nome, que não existia até 2010, foi criado em fóruns online precisamente para parecer científico e tentar ganhar credibilidade. O primeiro estudo foi realizado em 2015, por dois investigadores da Universidade de Swansea, no Reino Unido, e abrangeu 500 pessoas. Desde aí, só mais quatro investigações foram feitas sobre o tema, ou seja, apesar do crescente interesse por ASMR, ainda é cedo para tirar conclusões científicas sobre os seus benefícios.
No entanto, basta ler alguns dos comentários de qualquer vídeo no YouTube para perceber os efeitos positivos que o ASMR pode ter nas pessoas. Relaxamento, alívio de insónias, de ansiedade ou de dor crónica ou apenas um bem-estar generalizado são algumas das consequências mais mencionadas. O ASMR pode, por enquanto, ser uma pseudociência, mas a sua comunidade de fãs não para de crescer… e de dormir cada vez melhor.

0 comentários:

Enviar um comentário

Deixa o teu comentário!
Os comentários são moderados, pelo que podem não ser visíveis logo após o envio!