Mantém a tua saúde protegida...no frigorífico

Guardar no frigorífico para mais tarde consumir, comprar charcutaria todas as semanas ou aquelas maçãs embaladas do hipermercado, cozinhar com aquela margarina, ou guardar as sobras para reutilizar noutra refeição, é muito comum na casa de todos. Contudo, devemos ter em atenção o que devemos ou não guardar, em que condições e durante quanto tempo, isto porque existem muitos perigos camuflados no acto de guardar, conservar e escolher os alimentos a guardar no frigorífico que podem levar ao surgimento de várias patologias provisórias e até mesmo ao desenvolvimento de doenças cancerígenas.

Bolor em parte ou por completo nos alimentos
Quando me lembro disto, associo sempre ao que a minha professora de Química dizia "os alimentos ganharem bolor é normal, tira-se e pode-se consumir sem qualquer problema, não faz mal nenhum". Eu, já considerava esta teoria totalmente errada e nunca cometi este erro! Estudos revelam que os bolores mais expressivos indicam fungos com raízes profundas que espalharam as suas substâncias tóxicas nesses mesmos alimentos. Para além disso, o bolor produz esporos, que em ambiente refrigerado espalha-se e contamina os restantes alimentos (principalmente frutas) pelo que se deve rejeitar e colocar no lixo o alimento inteiro. 


Frutas e Legumes não orgânicos
Para além do aipo e dos pimentos, as maçãs estão no topo da lista dos produtos frescos susceptíveis de serem contaminados com pesticidas. Consumir produtos com pesticidas leva ao envenenamento do cérebro e do sistema nervoso, aumentado o risco de cancro e outras patologias. Assim sendo, o recomendado é consumir fruta e legumes o mais biológico e orgânico possível!

Carnes processadas industrialmente
Um estudo recente concluiu que o consumo de 50g de carnes processadas como carnes frias, bacon ou salsicha, aumenta o risco de cancro em mais de 20%. Por esse motivo, o ideal é que este tipo de alimentos seja consumido de forma natural, ou seja, porco, frango ou peru grelhado (grelhador elétrico, por ser mais saudável) ou cozido. 

Margarina animal e vegetal
Um estudo recente concluiu que o consumo da margarina quer com gordura animal saturada ou com gordura vegetal poliinsaturada, aumenta o risco de doença cardíaca e ataque cardíaco, sendo que o processo de hidrogenação da margarina forma gordura trans, que quando consumida em grandes quantidades, aumenta o colesterol mau LDL e diminui o colesterol bom HDL.

Sobras de refeições
O tempo de armazenamento para as sobras no frigorífico não deve exceder os quatro dias, sempre bem fechados hermeticamente ou o risco de contraíres uma intoxicação alimentar é elevado, com dores de estômago, vómitos e diarreia.

Enlatados
Os enlatados de metal são extremamente perigosos, visto que as latas depois de abertas podem transferir metal para os alimentos, principalmente se forem de fruta, azeitonas, tomate de conserva, e outros conteúdos ácidos. Os sintomas mais comuns são a febre, diarreia e náuseas.

Sopa enlatada
Por ser mais prático para consumir no trabalho, muitos são os que consomem sopa enlatada (incluindo a vendida em plásticos) durante cinco dias seguidos, desconhecendo que esta opção aumenta a concentração de BPA ou Bisfenol A, na urina em mais de 1000%, em comparação com pessoas que consumiram sopa fresca. Esta drástica alteração provoca desregulação endócrina química, diretamente relacionada com problemas de fígado e com a obesidade, por exemplo.



UTILIZA O CÓDIGO DELTAFERREIRA PARA 10% DESCONTO