Como ajudar os nossos filhos a gerir angústias e conflitos?


Os conflitos, podem ser considerados como algo negativo, mas na minha perspetiva podem ser vantajosos se utilizados como oportunidades de aprendizagem, que permitam às crianças desenvolver novas competências cognitivas e sociais, maior resiliência, identidade social e uma melhoria das relações e interações sociais.
Manter a calma
Em situações de conflito em que estejam envolvidas crianças é importante que quando o adulto intervém, o faça calmamente, com uma voz suave e sem adotar atitudes negativas que possam magoar as crianças.

Promover o diálogo
Os adultos devem ajudar as crianças a resolver conflitos e angústias de forma positiva e pacífica. Para tal, importa estimular o diálogo, a compreensão e a reflexão.

Promover a empatia
É importante que, desde cedo, as crianças aprendam a colocar-se no lugar do outro e por isso, as situações de conflito são excelentes oportunidades para tal. Podem servir para as crianças trabalharem a cooperação, o respeito e o reconhecimento do outro (e dos seus gostos e preferências pessoais).

Escutar com atenção
É importante que os adultos observem as crianças, estejam atentos às suas ações, escutem ativamente os seus pontos de vista. Depois da escuta, devem ajudá-las a distinguir o que é certo e errado e focar-se nos pontos fortes que estas possuem para resolver os problemas.

Validar os sentimentos e as emoções dos mais pequenos
É importante reconhecer os sentimentos das crianças e prestar atenção às suas características emocionais. As crianças devem sentir-se apoiadas e sentir que as suas angústias e preocupações são escutadas e valorizadas.

Procurar ajudar as crianças a resolver as situações, em vez de ser o adulto a resolvê-las
Os adultos devem servir como mediadores, estimulando a que as crianças, perante uma situação de conflito, cheguem a um acordo que seja satisfatório. Os adultos devem avaliar quando intervir nas situações de conflitos, dando oportunidade às crianças chegarem a uma solução de forma autónoma e criativa.

Treinar o controlo das emoções e dos impulsos
É natural que as crianças reajam a problemas pequenos ou insignificantes, por vezes, de forma exagerada. O controlo dos impulsos e a gestão das emoções leva tempo e requer treino. Os pais podem ajudar as crianças a treinar estas habilidades, recorrendo a histórias, jogos, à brincadeira e a situações imaginárias.

Ajudar as crianças a gerir conflitos e angústias é importante e é um trabalho diário. Para tal, importa que os pais procurem compreender os seus filhos e educá-los de forma a contribuir para o seu desenvolvimento e para uma convivência sã em sociedade. Na Edição Primavera da Magazine Delta Ferreira, dentro desta temática, também abordo técnicas de apaziguar birras através de técnicas de ioga. Faz download da tua Revista aqui!


0 comentários:

Enviar um comentário

Deixa o teu comentário!
Os comentários são moderados, pelo que podem não ser visíveis logo após o envio!